24/02/2022

 
Quando a publicação anterior foi agendada mal sabia o que ia acontecer horas depois...

Mais um dia negro na história que se volta a repetir porque não se aprende nada com o passado e porque a história é cíclica... infelizmente.

Para mim o dia começou normal, porque não vi noticias nem peguei no telemóvel. Mas quando cheguei ao escritório e entrei no instagram o primeiro story que vi foi de uma explosão na Ucrânia. Senti um aperto no coração e conforme ia lendo só tentava não chorar. Tivesse eu em casa e era o que tinha acontecido.
O dia correu "normal", para nós sortudos que vivemos aqui no nosso cantinho e que mantivemos a nossa rotina, mas no ar esteve um sentimento negro e todos passámos o dia a pensar nisto.

Mas tudo o que eu fazia comparava com o que se passava na Ucrânia. Andar na rua sem medo, sem sirenes, tiros, explosões. Quando me encontrei com a minha mãe senti um alivio e um aperto ao mesmo tempo porque havia filhos e pais a separarem-se nesse dia. Cheguei a casa e estava segura no meu canto, dormi na minha cama no silêncio da noite. Uma pessoa quase se sente mal por estar a fazer o que aquelas pessoas já não podem fazer mas a nossa vida continua por isso não podemos parar apesar deste mundo triste onde estamos mergulhados.

Vou falando com algumas meninas daqui no Instagram e a verdade é que ajuda bastante. Partilhar informação, sentimentos e principalmente perceber que não estamos sozinhas nesta tristeza e de outras coisas para aliviar um pouco.

Há sempre guerras a acontecer, infelizmente, mas esta toca de forma diferente porque está ali ao lado. Porque é na Europa. Porque, para mim, será claramente uma guerra mundial. Porque é um país com pouco poder bélico a ser atacado por uns dos exércitos mais poderosos. Porque imagino um futuro muito negro para toda a Europa (e mundo).

Nem há 100 anos terminou a 2ª guerra mundial e parece que estamos prestes a entrar numa 3ª...

▲ Leitaria Lisboa



Quando conheci a Mó, do blogue O blog da Mó (antes do Covid claro) decidimos ir tomar o pequeno-almoço à Leitaria Lisboa, no Cais do Sodré. Nunca lá tinha ido e gostei bastante.
O espaço era agradável, não estava muito cheio e deu para falarmos à vontade sem aquele barulho típico de cafés caóticos.

Comemos waffles com iogurte natural, frutos secos e eu optei por manteiga de amendoim, sementes de chia e banana e a Mó por frutos vermelhos e para beber cappuccino para mim e sumo de laranja para ela.
Tirando o iogurte natural, que juntamente com o waffles quentes ficou com um sabor desagradável e tive de pôr de parte, estava óptimo e fiquei bastante cheia. Parecia que tinha comido uma pilha de waffles e valeu a pena o preço que pagámos, que foi cerca de 8€.

Agora quero lá voltar para provar um dos brunches deles.

Já foram a Leitaria? Que acharam?

A precisar de fugir daqui

 

Acho que tenho uma forma meio disfuncional de lidar com a dor e tristeza em algumas situações. Não estou numa boa fase e estou a ter mentalizar-me que vou demorar a recuperar e que não faz mal.

Só que a minha forma de lidar com as coisas é complicada e é ao mesmo tempo uma forma de me proteger. Nas primeiras semanas eu não estava bem mas fingia muito bem. Falava, ria-me normalmente, quando acabava o trabalho ia para a sala e estava com a minha mãe até a hora de ir dormir. 

Depois isso começou a ser um esforço que fazia, sair do quarto, conversar tentando evitar certas perguntas, e quando começo a chorar a rir com piadas parvas sei que estou a ficar emocionalmente frágil. São as lágrimas que não choro a sair assim que me começo a rir.

Porque eu tenho evitado chorar e a verdade é que devemos chorar, devemos deitar cá para fora o que sentimos. Mas eu luto contra isso, e ando a fazê-lo todos os dias o que me está a deixar tão frágil que se me perguntarem no minuto errado se estou bem vou desabar. Aliás já aconteceu numa videochamada com a minha chefe. Eu que não choro a frente de ninguém chorei frente a minha chefe de há poucas semana, foi só a vergonha da minha vida. E naquele dia ainda nada tinha acontecido, mas eu sabia o que aí vinha.

Depois desse episódio tenho tentado aguentar-me melhor mas tenho um dia mau, e a seguir outro bom dentro do possível. 

Tenho dormido pouco e mal. Fico facilmente de lágrimas no olhos e por vezes caem umas quantas lágrimas enquanto respondo a um simples e-mail do trabalho porque a minha mente está a vaguear por outros assuntos. Só me apetece estar deitada a ver Netflix. Há dias que como normalmente, noutros fico cheia com uma refeição pequena. 

Acho que quanto mais real isto se torna vou ficando pior. E em breve tenho uns dias fora daqui combinado com uma amiga, porque ela queria muito e eu quero que ela continue bem e animada e agora só penso o esforço que vou ter de fazer para estar animada.

Mas a verdade é que sempre fiz isto. Se estou mal ou triste toda eu viro atriz. Mantenho a minha personalidade mas aumento tudo. Finjo estar muito animada, rio-me como se as coisas tivessem 10 vezes mais graça do que realmente tem, tento fazer piadas, falo de tudo menos de mim. Quem me vire acha que estou mais feliz que nunca mas nessas alturas é quando estou mais triste.

A verdade é que nem todos expomos a nossa infelicidade e as nossas fragilidades. Nem ninguém sabe que é assim que lido com o que me afeta. E depois sou vista como aquela que nada afeta, está sempre bem, que é fria, que não gosta das pessoas. 

▲ Binge Watching

Vou partilhar com vocês algumas das séries que vejo ou que via uma vez que várias séries que acompanho estão a terminar este ano.

As de hoje são três séries que já terminaram.


A primeira é a Sons Of Anarchy, que já terminou há alguns anos. Comecei a ver a partir da segunda temporada e nunca cheguei a ver a primeira temporada mas soube por alto o que aconteceu na primeira temporada.
Adorei a série, mas havia situações que mexiam muito comigo e com os meus valores, digamos assim. Acho que uma série que mexe assim connosco só pode ser boa não é?
Também não faltam mortes por isso se virem preparem-se para ir perdendo alguns personagens dos quais são capazes de gostar. Mas vale a pena, sem dúvida.



A segunda série é a Mentes Criminosas. Terminou o ano passado na 15ª temporada, foi uma temporada mais curta que as outras o que obrigou a despachar as histórias de cada personagem e foi sem dúvida a pior mas mesmo assim foi boa.
É daquelas séries que vejo sempre apanho a dar no AXN porque gosto imenso das histórias e de assassinos em série por mais creepy que isso soe.



Os Caçadores de Mentes vai muito ao encontro de Mentes Criminosas uma vez que também é sobre assassinos em série. Mas nesta acompanhamos o inicio do estudo de assassinos em série e podemos ver as histórias de alguns assassinos em série bem conhecidos como o Charles Manson e podemos conhecer outros como o Edmund Kemper, e o ator que o representou na série fez um excelente trabalho e era a personagem que eu mais gostava de ver.

Na verdade esta série não foi cancelada mas uma vez que o criador não tem tempo para se focar na série todos os atores foram dispensados para fazer outros trabalhos e não há data para a estreia da terceira temporada se chegar a haver.



Já conheciam alguma ou chegaram a ver alguma destas?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...